I’m Pretty Great, As Long As…

Clique aqui para Português

Ever heard the saying, “Better to be thought a jerk than to open your mouth and remove all doubt”? That’s one I’ve tried to take to heart over the years. This week our family started a major schedule shift as Portugal reopened schools. For the past month classes have been online which was a buffer for our kids getting used to the Portuguese accent, quite different than Brazilian. In order to to avoid crowding classes are staggered in a way that Kati and I have to drive to the school 4-6 times a day (x2 back and forth). So Kati and my schedule is having to be completely rethought.

The whole situation has reminded me how my selfishness lies undetected as long as the status quo remains the same. I have a strategic mind and am quite capable of negotiating situations with my wife, kids and colleagues so as to extract maximum benefit for myself. I’ve learned the art of the strategical retreat when it best serves my long-term goals. I’d like to think that even those closest to me, such as my wife and kids, are not aware that this type of game of chess goes on daily. But my hunch is that they are generally aware when I’m trying to corral things so they flow in the most convenient direction for your’s truly.

My wife and I are both highly trained in the area of personal development having trained missionaries and church leaders for the past 28 years. We both know how to finely tune our lists and diagrams of projects and vision. But I’m the one who obsesses over this on a daily basis. And it’s amazing how magnanimous and gracious I can appear to others under the right circumstances. When it’s all systems go for the machinery of my plans I can be flexible and servant hearted. I can feel pretty satisfied with myself and think I’ve really achieved maturity.

But then something like kid’s school restarting that reveals the same old selfish David. Suddenly I have less “me time” and my mind sets off problem solving how to get back to “normal”.

Our comfort zones are so comfy aren’t they, there just so great! But thank God for change that brings us back to an honest perspective of who we are. I still need to grow a whole lot in having a genuine servant heart and others-focused life. In the Sermon on the Mount Jesus spoke of those who do good works to receive status among men. My prayer for my brothers and sisters in Christ and I is that we rejoice when we have to reschedule, reorganize and re-prioritize.

It’s like needing to change your workout to engage new muscles. If we just do the same exercise routine day-in day-out we appear in much better shape than we really are. When we learn to do only specific movements it exaggerates the impression of strength. So let’s thank God for when we have to learn new moves that will bring real gains into our spiritual life.

Sou Uma Pessoa Muito Boa, Enquanto…

Há um ditado em inglês que diz, “É melhor que as pessoas te achem um egoísta do que abrir a sua boca e tirar qualquer dúvida”. Esta semana a nossa família começou uma fase de transição com a reabertura das escolas das crianças. Para evitar a transmissão da virose Covid 19 os horários das crianças são intercalados. O resultado é que eu e a Kati temos que ir à escola 4-6 vezes por dia (x2 ida e volta). Isso representa um alteração significativa no nosso ritmo diário.

Essa situação me lembra de como o meu egoísmo jaz despercebido debaixo da superfície do meu ser enquanto nada vem perturbar a minha rotina. Eu sou bom em negociar situações com a minha esposa, filhos e colegas de trabalho para extrair o maior benefício possível para mim mesmo. Eu até sei como recuar em certas situações para poder alcançar objetivos maiores no longo prazo. Provavelmente engano a mim mesmo se eu pensar que as pessoas mais próximas de mim – principalmente a minha esposa e filhos – não estão cientes deste jogo de xadrez diário.

É impressionante como eu posso parecer uma pessoa magnânima se as circunstâncias colaboram para isso. Quando as coisas caminham geralmente em direção à realização dos meus objetivos eu sou uma pessoa calma e tenho tempo para ajudar as pessoas se uma necessidade surgir. Quando eu sinto que o dia está sendo produtivo eu não me incomodo tanto com as interrupções e imprevistos. Nessas horas posso sentir que eu estou realmente alcançando a maturidade em Cristo.

Mas aí algo sempre acontece que me traz de volta à terra e a realidade do meu egoísmo. Como é o caso atualmente na volta dos meus filhos às aulas e a necessidade de eu e a Kati reorganizar toda a nossa logística familiar.

Nossas comfort zones (“zonas de conforto”) são tão gostosas não é, como eu amo quando nada me incomoda! Mas graças ao Senhor pelas mudanças diárias que nos conduzem de volta à uma perspectiva coerente de nós mesmos. Posso declarar com toda a certeza de que eu sei que preciso crescer muito no caráter do discípulo de Cristo. Ter que reorganizar as nossas vidas pode ser como fazer uma nova rotina de exercício. As vezes nós estamos acostumados a fazer o mesmo treino durante muito tempo. Podemos nos sentir fortes e velozes porque só nos limitamos a certos movimentos específicos. É quando passamos a fazer um treino novo que vemos que não estamos em boa forma tanto quanto pensávamos.

A minha oração para você e eu é que podemos aprender a nos regozijar com as transições e “incômodos” da vida. Vamos dar Graças ao Senhor quando temos que aprender novas manobras que vão trazer grandes ganhos à nossa vida espiritual.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s